sábado, 27 de julho de 2013

O que seria dos fortes se não houvessem bairreiras para que eles pudessem ultrapassá-las? Não seriam. Chore, grite, chute e sofra, mas, no final, consiga quebrar todas as paredes que te impedem de sorrir. Eu entendo o peso de cada lágrima chorada por ti, cada dor que te espinha, porém, que essas lágrimas e essa dor não ocultem a essência da vida que existe dentro de ti, porque viver também é chorar, viver também é sofrer, ou melhor, viver é SENTIR. Apenas viva aprendendo a ultrapassar as barreiras e a suportar suas dores, como prêmio, subirá degraus da escada que te leva destino a felicidade. (M.F.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário