terça-feira, 14 de maio de 2013

Mar de fantasias Mediante uma quimera, pudera encontrar-me em longos traços desenhados sob o doce sorriso da alteza. Dona da suprema beleza, art nouveau da minha natureza, com sua permissão, cognominada minha princesa. Encontrei-me na doce realeza onde oculta-me a frieza Transformando-me em suavidade e extrema delicadeza. Ao passar de cada dia, converte os meus desejos em fantasias e conduz o meu respirar através do pulsar do próprio coração fazendo-me mergulhar em sua intensa alquimia colocando-me em eterna contra mão. Em sua timidez, reviro-me ao avesso. Rompo a tua pele e desvalorizo dos nossos corpos o desapego. Demonstro a relíquia que chamo de "meu apresso" legalizando tua alma, o meu endereço . "Não moro ao lado da tua casa, mas parte de mim reside em ti, assim como você habita em mim."

Nenhum comentário:

Postar um comentário