quinta-feira, 14 de novembro de 2013

... Tantas palavras eu procurei para traduzir a sensibilidade do meu sentimento neste momento, mas nenhuma das que me vieram á cabeça conseguiu alcançar a profundidade dessa tal suscetibilidade. Pouco sei de qual sentimento falo. Não se trata de um amor, nem de uma dor, aliás, muito fácil seria falar sobre eles. Não é tristeza, mas também não é alegria. É como se algo ou alguém tivesse instalado um ar-condicionado dentro de mim, mas lá dentro mesmo, não diretamente no meu coração, tampouco na minha alma. Apenas, tudo está congelado, mas eu não sinto frio. É isso! Eu não sinto. Mentira!!! Eu sinto, mas não demonstro o que sinto. Quero dizer, eu sinto, mas já faz tanto tempo que sinto que sentir já não provoca efeitos tão drásticos, embora tenha os meus rompantes vez em quando. A única coisa que consigo explicar é uma vontade enorme de estar em um lugar só meu, e, assim, me recuar de uma forma em que eu seja apenas o meu único perigo. (Maria de Fátima Gomes)

sábado, 27 de julho de 2013

Desordem é o meu sobrenome. Vivo o irreal, encontro o bem no ilegal, pois, nem sempre, o que não é permitido, idolatra o que é mal. (MF)
Do que adianta conhecer tantos lugares fabulosos, se não conhece o mundo que existe dentro de si mesmo? Faça um passeio por dentro do teu Ser. Estude-se! Conheça-te (mF)
Planejar pra quê? A gente nunca sabe o que vai acontecer no próximo segundo. (mf)
Na vida, não existe perda de tempo, tudo tem um motivo, nada é por acaso, mas faça valer á pena, deixe sua marca, pois a vida passa na velocidade da luz, e, dela, restam apenas lembranças. Intensifique cada momento. (Mf)
"É, se apegar é legal. Chato é quando precisamos despegar e não sabemos como, devido a pressa, mas paciência é a chave. Senta e espera, ou melhor, viva e espere o sol vir novamente iluminar o outro dia. Na frente, sempre existe algo melhor, pode ter certeza." (Mf)
Tem momentos em que somos calados pela vida, momentos estes em que a mesma nos espreme até a ultima gota de lágrima que umedece os nossos olhos. É triste. É triste, mas você continua forte, desabar não é o problema, vai se tornar um problema a partir do momento em que você não tiver coragem para construir novamente e mais resistentemente o que foi destruído. Perceba a sua força e levante-se. Não é todo mundo que suporta e encara de frente a dor de perder alguém que muito se ama. Não é qualquer um que tem sangue para suportar a pressão psicológica causada na fusão entre o ódio e o amor. Não é fácil passar por sua amada e você ter que fingir que não a conhece, quando a vontade é de abraça-la. Porém, você se controla, e essa é a questão, o controle torna você forte. Lembra que uma mentira contada 100 vezes torna-se uma verdade? Muito bem! Não perca o controle, um dia as coisas acontecerão naturalmente sem que você precise se controlar ou forçar, a questão é o costume. Se acostume com a dor, mais tarde, a proporção será menor. Se acostume com o amor, com o sentimento que você carrega, quando você menos esperar, ele já passou. Mas apenas se acostume, não se entregue a esse sentimento, nem a essa dor, porque o sofrimento acontece através da entrega. Perceba-se. Entregue-se. Afinal, a vida e o mundo não são compostos apenas por isso, existem milhares de coisas boas, outras pessoas, outros amigos, outros amores, basta você e cabe a você querer enxerga-los ou não. "Senta e espera, ou melhor, viva e espere o sol vir novamente iluminar o outro dia. Na frente, sempre existe algo melhor, pode ter certeza." (M.F.)
Tantas coisas eu tenho para te dizer entre tantas outras que não precisam ser ditas, e mesmo assim eu continuo procurando palavras para expressa-las, talvez, por eu não saber que palavas não superam a intensidade das coisas, muito menos dos sentimentos. Perante tudo, bastava-me apresentar a minha alma para ti, mas abstratos não se veem, não se tocam. Basta-me sua crença em todas as minhas atitudes para com você. Acredita que, você toca no meu ponto fraco, mesmo não sabendo qual a forma? Pessoas que me calam ganham a minha admiração quando não me deixam rebater algo através dos meus discursos. O que você me faz sentir não permite que, ao menos, uma palavra saia da minha boca. Eu entro em ruas, saio em becos e não encontro explicações, mas te encontro no centro da minha memória construindo cada um dos meus pensamentos. Basta-me a sua percepção. (MF)
Ame, ame mesmo, ame muito, tenha muitos amores, idolatre o amor, canse de amar. Sofra de amor, morra de amor, mas nunca morra por amor, viva para amar. Canse e perceba que, cada amor é diferente. Na passagem de amor para amor, pessoa a pessoa, muda e diminui a intensidade, muda a forma de amar, de enxergar o amor, e, automaticamente, a forma de sofrer, se sofrer, sofre por querer, a cada experiencia, somos premiados com um escudo que chama-se COSTUME, no inicio, sofremos por não saber lidar com a dor, não a conhecemos. Sofrer é se doar para a dor, no final, sofrer é opcional. (M.f)
O que seria dos fortes se não houvessem bairreiras para que eles pudessem ultrapassá-las? Não seriam. Chore, grite, chute e sofra, mas, no final, consiga quebrar todas as paredes que te impedem de sorrir. Eu entendo o peso de cada lágrima chorada por ti, cada dor que te espinha, porém, que essas lágrimas e essa dor não ocultem a essência da vida que existe dentro de ti, porque viver também é chorar, viver também é sofrer, ou melhor, viver é SENTIR. Apenas viva aprendendo a ultrapassar as barreiras e a suportar suas dores, como prêmio, subirá degraus da escada que te leva destino a felicidade. (M.F.)

terça-feira, 14 de maio de 2013

Procurava na incerteza do sucesso, a bela banhada a ouro. Encontrei, no meio da multidão, no brilho perdido de um profundo, sedutor, inocente e bobo olhar, a certeza de uma forte pulsação que fervia em minhas veias, a profunda respiração entre cada batimento cardíaco. Estava eu levantando a hipótese de ter encontrado o amor diante de um olhar perdido nunca avistado, de um belo bobo sorriso nunca tocado, mas, muitas vezes, por mim, provocado, da conquista da mais bela moça, cujo um codinome a minha alma ter inventado, onde de meu amor a minha boca tem chamado, e no final desse pequeno sonho, os lábios da bela ter beijado.
Mar de fantasias Mediante uma quimera, pudera encontrar-me em longos traços desenhados sob o doce sorriso da alteza. Dona da suprema beleza, art nouveau da minha natureza, com sua permissão, cognominada minha princesa. Encontrei-me na doce realeza onde oculta-me a frieza Transformando-me em suavidade e extrema delicadeza. Ao passar de cada dia, converte os meus desejos em fantasias e conduz o meu respirar através do pulsar do próprio coração fazendo-me mergulhar em sua intensa alquimia colocando-me em eterna contra mão. Em sua timidez, reviro-me ao avesso. Rompo a tua pele e desvalorizo dos nossos corpos o desapego. Demonstro a relíquia que chamo de "meu apresso" legalizando tua alma, o meu endereço . "Não moro ao lado da tua casa, mas parte de mim reside em ti, assim como você habita em mim."

terça-feira, 7 de maio de 2013

Preciso me perder para encontrar traços daquilo que denomina meus dons. (m.f.)
O segredo da felicidade encontra-se na manifestação da essência do teu ser. (M.F)
Não basta está longe para esquecer, não basta evitar pra deixar de amar. A distância maltrata, mas não separa. Você está presente em cada pensamento meu, e em cada um deles, a saudade derrama um pouquinho de ti na minha alma, na minha essência. Dessa forma, você sempre estará presente em meu ser. (m.f.)
A gente nunca está preparado para viver algo, as coisas nunca acontecem da forma que a gente imagina; (M.F)
"É, se apegar é legal. Chato é quando precisamos despegar e não sabemos como, devido a pressa, mas paciência é a chave. Senta e espera, ou melhor, viva e espere o sol vir novamente iluminar o outro dia. Na frente, sempre existe algo melhor, pode ter certeza." (m.f)
Na vida e no mundo existem milhares de coisas boas, pessoas, amigos, amores, basta você e cabe a você querer enxerga-los. (F.M.)
Ser louco consiste em ser consciente. (MF.)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

De repente, a gente se surpreende com as pessoas, e eu não estou falando em decepções, estou falando do "OI" vindo da pessoa que você menos espera, quando você menos espera. Mas o que me surpreende de verdade são as coisas quem vem após o oi e por trás dele, é como se o tempo não tivesse passado, como se muitas coisas não tivessem mudado, ou seja, o que me surpreende é a forma que tudo isso me faz entender que, sentimentos antigos nem sempre são modificados, talvez, a distância não influa tanto nos sentimentos que chegam ao fim, mas a saudade, as lembranças e o carinho fazem o sentimento fortalecer, e quando volta o contato, as conversas, a emoção e o bem vêm juntos, e é isso que me surpreende. As novidades nos apresentam novas sensações, novas emoções, mas os sentimentos antigos e guardados na gaveta preciosa da alma , enquanto aqui, fora do abstrato, tudo se muda, tudo se transforma, em nossa alma, sentimentos antigos evoluem, tornam mais claros, sinceros, verdadeiros, fortes. Sem mais.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Eu posso procurar 100 significados para as palavras que uso, que falo, mas nunca encontrarei sinônimos para substituir ou tentar explicar o meu sentimento por ti. De repente, se a alma tivesse voz, ela pudesse falar dos ventos frios que escorregam pelo meu corpo provocando calafrios quando eu tento decifrar ou imaginar o teu cheiro. Talvez, ela pudesse revelar as urgências clamadas pelos meus instintos no desejo de sentir o calor da sua presença. Talvez, a voz da minha alma pudesse gritar sobre os segredos de lágrimas derramadas em dias de tempestades sombrias e escuras, talvez até, ela pudesse escancarar ou calcular em frações o comprimento, a largura , o tamanho e o volume da dor que encena cortes mortais nela mesma, em apenas eu imaginar como seria um dia ou o restante da minha vida sem a doçura da essência de uma beleza profunda registrada em delicados traços de uma doce menina, quase mulher. A alma não tem voz, mas me permite sentir, e sentir das piores ás melhores sensações e emoções, se é que com você existem piores, tudo que trata-se de você se converte em maravilha, quase perfeição. Preciso eu de significados exatos para expressar sentimentos tatuados no brilho dos meus olhos ao pensar em você? Pra quê 100 significados, se tenho 1.001 motivos para, apenas, TE AMAR?

segunda-feira, 4 de março de 2013

A gente precisa amar 500 vezes, sofrer 1.000 vezes, aprender 2.000 coisas e, por último, ser retribuído 1 vez para conseguir discernir o AMOR. (Maria de Fátima Gomes)

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Você mexe com todas as minhas estruturas, me desestrutura, me alcança, me vira e me explora. Explora o meu avesso, suga as minhas forças, tens o dom de me multar e me transformar em delicadeza bruta, consequência da união de toda sutileza e vontade que corre em teu ser, derruba os muros construídos de pedras de orgulho, frieza, ignorância e indelicadeza que compõem traços do meu instinto. Transforma-me em fina flor, espinhos de seda e pétalas de pluma. Amor intenso, urgente, no impulso, sem dor. Será essa a receita do meu amor, do seu amor, do nosso amor ou apenas uma mistura inconsequente de surtos causados por sentimentos em fervor?. (Maria de Fátima Gomes)

Onde surge um AMOR.

Entre embaralhadas frases, lá estavamos nós: Vivendo em mundos distintos, intactos na frente de cérebros artificiais, na busca movida a "quase certeza" do insucesso, por algo, talvez, extinto. Indiretamente, lança-me uma frase que, em frações de segundos, quebra o silêncio e a timidez que estampa a minha face ilusória. Nitidamente, transformo-me em um poço de calmaria. Porém, em dias que se passam... Ao decorrer das horas... Você desaparece... Não tenho direito de ler, ao menos, a ultima palavra escrita por ti. Tenho apenas a capacidade de criar imagens umbráticas e aptidão para ouvir sons inexistentes das palavras que soam das suas cordas vocais e, velozmente , são ditas pelos delicados doces lábios criados pela imaginação criativa da meu exuberante intelecto. Diante da correria do tempo, inexperadamente, te reencontro em curtas respostas, onde, perante a intensidade da minha persistência, tornam-se, quase, infinitas. Em seguida, os mistérios guardados nas profundezas de nossas almas, são revelados na extremidade de fortes sensações. Nos entregamos a reações inexplicaveis: Mãos suadas, corpos ferventes como vulcões em processo erosivo. O olhar extremamente perdido, vivo e brilhante como um farol. Nossos corpos mergulham em longas gotas de dopamina, adrenalina, noradrenalina, feniletilamina, oxitocina... Depressa, nos misturamos como elementos em uma reação química. E entre embaralhadas frases, reaçoes e sensações, surge um gigantesco amor. (Maria de Fátima Gomes)

A suprema beleza de um sonho.

E lá estava ela, indiretamente a minha espera, sobre uma bela paisagem, intacta, encostada em um homem de pedra, que, por muitos instantes, me causava medo, mas que esteve presente em momentos quase incrimináveis. Eu me aproximava junto com meus mestres, por vezes pupilos, que em abraços, sentiam o cheiro forte da essência do seu corpo, misturado ao perfume suave e delirante usado pela mesma. Enquanto um surto psicótico silencioso me atingia, fazendo, por um segundo, meu corpo paralisar e meu espírito se afogar em sentimentos diversos: Culpa, receio, medo, angústia... E entre todos esses, começa a transbordar pelas bordas da minha alma, a paixão, ocultando todos os outros sentimentos , e logo depois, some como fumaça ao vento, e finalmente acordo daquele momento, quase fantasioso. Logo percebo a realidade que me rodeia. Curvo-me, sento-me perante toda beleza, e começo a interagir, não com palavras, mas com meios sorrisos e olhares discretos, perceptíveis apenas por ela, que indiretamente retribui-os. E assim se passa o tempo, o nosso tempo, a nossa noite coletiva e ao mesmo tempo, a dois. Sinto uma gota de água da chuva, que escorre pela pequena goteira no telhado, cair sobre minha face, me fazendo regressar rapidamente a realidade, observo tudo o que me rodeia e encontro em meu refúgio, apenas um travesseiro a apoiar-me do baque causado pelo descobrimento de tal surrealismo. (Maria de Fátima Gomes)