quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Discorrendo sobre...

E lá se passa ela... Discreta e em uma rapidez tremenda, a ponto de quase não ser perceptível nem por minha própria pessoa, não por não vê-la, mas pela intensidade da forma exuberante em que a faço ser vivida e, assim, sentida, que não me permite percebe-la a olho nu, mas visualiza-la pelo meu umbrático pensamento. De maneira que muitos não investem, alegando, justamente, o tempo, que, de acordo com a maioria, deve ser aproveitado somente por coisas, pra mim banais, mas pra eles, nem mesmo trocáveis pela oportunidade de um suspiro após o último, faço dela um mar de extensão desconhecida, composto pelo o intelecto dos livros, pela dimensão dos sonhos, pela doce e, as vezes, agressiva expressão da musica, pelo amor composto por Roberto e pelas loucuras das frases inteligentes ditas por Cazuza. Exibo-me para a bela e para o existente não abstrato, fazendo da visualidade das minhas próprias virtudes, dos meus princípios, da minha personalidade, da satisfação das minhas vontades e da invisibilidade em que torno o jugamento das más línguas, o prazer da minha alma que transborda, pela exterioridade do meu corpo, gigantescos rios de felicidade, causada pela minha forma e pelo meu jeito de viver aquilo que, depressa passa, sem permitir, ao menos, ser vista, somente sentida e, próxima ao fim, notada. Falo da vida. (Maria de Fátima Gomes)

2 comentários:

  1. Lindo texto. Parabéns pelo blog.
    Contemple uma premissa de meu primeiro livro O Amortecimento, disponível em http://www.bookess.com/read/14684-o-amortecimento/

    Divã da Tia eni
    www.divadatiaeni.com

    ResponderExcluir
  2. lindo texto... uma realidade incontida...

    http://mmelofazminhacabeca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir