quinta-feira, 27 de setembro de 2012

E quem diria, eu tentando, outra vez, falar de amor. Eu, que tanto fui machucada? Eu, que tanto me decepcionei e até decepcionei? É, eu estou aqui tentando falar do FDP do amor, revoltadamente, felizmente e verdadeiramente. O problema não é o sentimento, o problema é as pessoas. Claro, não me dirigindo diretamente á todas, me dirijo para as pessoas que possuem o mínimo de caráter, é, o mínimo, ou seja, que quase não o têm. Porém, por mais que algumas pessoas tenham um grau elevado de caráter, em todo mundo falta, lá no fundo, um pouco dele e em alguma situação esse vazio é demonstrado. Pois é, mas não estou aqui para julgar o caráter das pessoas, estou aqui para falar de amor, um sentimento que a maioria das pessoas desperdiçam, rejeitam, desvalorizam, tornam-o imoral, e irônicamente, na maioria das vezes, por falta do BENDITO caráter. Lembra daquela mentira? Lembra daquela traíção? Pois é, não chegaram a ferir diretamente o meu sentimento por você, mas feriram "aquele caráter" que você dizia tanto zelar, o seu caráter, e consequêntemente, me fez te enxergar de uma forma diferente, aí sim, desgosto, tocou no meu sentimento, tocou a minha visão direcionada a ti. E SABE AQUELE "AMOR" QUE VOCÊ DIZIA TER POR MIM? É, eu não era apaixonada por ele, se fosse, o que estaria fazendo aqui, se teu sentimento por mim sempre foi, eu diria, "ARTISTICO"? O meu também seria, né? Então, por esse motivo, não estaria escrevendo aqui, mas estou. Há, por dignidade, joga esse teu amor no lixeiro, ele tem a mesma intensidade da palavra LIXO. Continuando, eu era apaixonada pela sinceridade e fidelidade demonstradas nas suas próprias palavras e aparencias. MAAS, como palavras e aparências enganam friamente... É, aconteceu, me decepcionei. PORÉM, eu também não estou aqui para falar de decepção, continuo tentando falar de amor. Perceberam que sempre há dificuldade para alcançar o danado do amor? E haja força e vontade. Há, o amor! Um lindo sentimento que tem a intensidade da eternidade, que nos faz sentir as melhores sensações, o sentido da vida, a vontade de viver, porém, que, de repente, as pessoas imundas, burras, leigas, tristes e imperfeitas, assim como você, e talvez, assim, como eu, disperdiçam, infelizmente. Pois é, você desperdiçou, e eu não, não dessa vez. Amei, é verdade, vocÊ não deu valor, mas, apesar de tudo, não me arrependo, aprendi, aprendi a amar, e dessa forma, depositarei toda essa lição,tudo o que eu aprendi, tudo o que, hoje, há de melhor em mim, todo esse sentimento, que um dia, bem distante do presente, você teve, e, propositalmente, perdeu, na pessoa que, realmente, merece o meu amor, assim, me darei a chance de ser e fazê-la feliz na intensidade do infinito, porque capacidade para isso, eu tenho, como você bem sabe, e por imaturidade e fraqueza, desperdiçou. (Marii Gomes)
Sinceramente, eu não entendo os sentimentos que decidem os meus pensamentos e, consequentemente, as minhas atitudes. Como pensar em algo que não acresce em nada na minha vida? É, pensar é inevitavel, escolher o que e em quem pensar então... Impossível. Embora essa confusão interna e por mais que eu pense, por mais que eu sinta, eu tenho consciencia de que, hoje, diferentemente de alguns dias atrá s, esses pensamentos e sentimentos "não queridos", residem na parte períferica da minha memória. No centro, novas prioridades me fazem pulsar no rítimo da felicidade, mas, como diz Marcelo D2, ainda em busca da batida perfeita, do grau máximo da minha felicidade. Esquecer eu não vou, faz parte da minha história. Parar de sentir, não parei, mas, agora, tenho dentro mim um sentimento DEFORMADO, defeituoso, diferente, é, mudou, e como mudou. Pois é, o tempo e as novas prioridades mudam e mudaram as posições desses "pensamentos e sentimentos", ontem, no centro da minha memória, hoje, na area períferica, amanhã, talvez no lixão, longe da cidade, longe da memória, no caso. Mas estarão lá, lá no fundo, lá nas passageiras lembranças, apenas isso, nas lembranças. (Marii Gomes)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Que confusão de sentimentos, que turbilhão de vontades. Quero estar contigo, quero sentir, outra vez, a tua mão encostando lentamente na minha, perante a sua tímidez. Quero passar a noite ouvindo-te, olhando-te, mesmo que discretamente, como sempre foi, na maioria das vezes, por que isso basta-me, basta-me o teu sorriso, basta-me ouvir tua voz, basta-me a tua tranquilidade, basta-me ver-te bem e saber que faço-te bem. Não estou no momento certo para te falar isso, mas existe momento certo para sentir? ( Marri Gomes )
Demorei, mas percebi que desde sempre existiu sentimento em mim, e eu sei que você sabe, que você sabe que, no fundo, sempre fui tua, e eu sei, eu sei que você também me ama. Ta me fazendo pensar, ta no meu pensamento, só não entendo a razão, só não sei se devo, se devo pensar, se devo tentar, se devo deixar de caminhar na minha estrada para seguir a sua, a sua estrada. (Marri Gomes)

domingo, 2 de setembro de 2012

Não se ama com o coração, mas sim com a mente, com a memória, tanto que para deixar de amar é preciso apenas esquecer, não fazer uma cirurgia vascular. (Marii Gomes)