terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Indiferença, oposto do amor



Dizem que a INDIFERENÇA é o oposto do amor, é verdade, o amor é aquele sentimento que todos desejam conhecer, um sentimento belo, responsável por muitos sorrisos, a indiferença? Responsável por dores... Machuca, fere, despreza... Um ato desumano, mas que muitas vezes torna-se inevitável, incompreensível, não notável para o indiferente. Provoca o silêncio quando muitas palavras precisam ser ditas, quando elas, no dito momento, tornam-se sinônimos de remédio. É tão doloroso gostar de alguém que demonstra falta de amor, esse que um dia atrás era tão forte, e hoje se mostra morto de tanta fraqueza. Quem ama não machuca, nem tem o dom da indiferença, do desprezo em momentos tomados pela raiva. Vale conversar, deixar claro suas raivas, angústias, rancores, converse, o diálogo é a melhor opção. Mais faz doer palavras omitidas, que palavras verdadeiras, mesmo que fortes, ditas no momento preciso. Sabe o que é mais doloroso que sentir odiado por pessoas que você é capaz de doar a sua vida pra elas? Saber que elas não notam a sua existência, muito menos o seu sentimento. É o que a indiferença transparece. Finalizo com uma frase Robert Mallet: A indiferença que se tem, em relação ao outro, é, sem dúvida, a pior das razões para lhe ser fiel.

Acredite, sentimento com indiferença, pode ser qualquer um, menos AMOR.

(Maria de Fátima Gomes)

14 comentários:

  1. Linda tenho um texto que fala sobre uma forma de amar.

    O DESCONCERTO QUE CONSERTA!

    Odiar é também uma forma de amar. Diferente, mas é. É que o coração humano nem sempre consegue identificar o sentimento que o move. É claro que existem situações em que o ódio é ódio mesmo, mas, em outras, não.

    Você já deve ter experimentado isso que estou dizendo. Sobretudo no momento em que foi traído, enganado e até mesmo abandonado. O sentimento foi de revolta e, nela, o amor muda de cor, configura-se diferente. É a mesma coisa que acontece com os animais que se camuflam para sobreviverem às ameaças dos inimigos. O camaleão é sempre camaleão, mesmo que não possamos identificá-lo no seu disfarce. Da mesma forma fazemos nós.

    Quando temos o nosso amor traído, ameaçado pelo descaso do outro, nós nos revestimos de ódio e ressentimentos. Mas a fonte é sempre o amor. Ele é o referencial de onde parte a nossa reação. Nem sempre temos coragem de assumir isso. A traição nos trava para a misericórdia. E, então, sentimos necessidade de devolver a ofensa com a mesma moeda.

    Por isso, dizemos que odiamos. Mas só o dizemos, porque o que nos falta é coragem para dizer que amamos.

    Camuflados e infelizes

    Camuflar é o recurso que usamos com o objetivo de nos justificarmos diante dos outros. É uma forma que temos de nos sentir menos humilhados. Não raras vezes, dizer que temos ódio é uma maneira de tentar dar a volta por cima. Estranho isso, mas acontece.

    Talvez seja por isso que as pessoas andam tão distantes dos seus verdadeiros sentimentos. Tememos a fraqueza. Tememos que o outro nos flagre no sofrimento que a gratuidade do amor nos trouxe. Preferimos assumir uma postura marcada pela agressividade a outra que nos mostrasse em nossa fragilidade.

    Nos dias de hoje, cada vez mais, acentua-se a necessidade de ser forte. Mas não há uma fórmula mágica que nos faça chegar à força sem que antes tenhamos provado a fraqueza. E amar é experimentar a fraqueza. É provar o doloroso campo da necessidade, da carência e da fragilidade.

    Amar é uma forma de depender, de carecer e de implorar. É uma forma de preenchimento de lacunas, visto que o amor é a melhor forma de complementar os espaços.

    Admirável desconcerto

    Quem ama sabe disso. Quem é amado, também. A gratuidade do amor consiste nisso. Amar quando o outro não merece ser amado. Surpresa maior não há. Ser abraçado no momento em que sabemos não merecer ser perdoados. O amor verdadeiro desconcerta. O perdão e a reconciliação são a prova disso. Somente depois de dizermos infinitas vezes "Eu te perdôo" , é que temos o direito de dizer "Eu te amo". Porque, antes do perdão, o que existe é admiração. Esse último sentimento não é o mesmo que amar. Só amamos aqueles a quem perdoamos. E, geralmente, só odiamos aos que amamos, caso contrário seríamos indiferentes.

    Pena que tem sido cada vez mais difícil declarar amor no momento em que o outro não merece. Não temos coragem de tomar essa atitude, porque ela é chamada de fraqueza, coração mole. E, por medo de sermos vistos assim, camuflamos o amor com as roupas do ódio.

    Perdemos a oportunidade de atualizar a gratuidade do amor de Deus na precariedade do amor humano e de surpreender o outro com nosso gesto já transformado pela graça divina.

    Na sua vida, não tenha medo de ser fraco, já que a fraqueza representa capacidade de amar. Quando o outro, pelas mais diversas razões esperar pelo seu ódio, surpreenda-o com o seu amor.

    Desconcerte-o e, assim, você ajudará a consertar o mundo.
    Pe. Fábio de Melo

    ResponderExcluir
  2. Depois de me diga o que achou.

    conta-me uma história sua?
    que eu publico na tag 'entre histórias'

    PROCURO PARCEIRA
    AJUDO a divulgar seu blog, meu patrocínio é Make & Invent site qualificado para aumentar tráfico de blog. Link na minha página.

    - Meu blog é como o começo de qualquer um, de qualquer dia, de qualquer história, de qualquer sofrimento, qualquer coisa se quiser mandar SUA HISTÓRIA mande pra esse email - eriikalariissa@hotmail.com que eu publico sem identificação (caso queira) visitem vocês vão gostar.

    CASO QUERIA SE IDENTIFICAR E COLOCAR ENDEREÇOS ME AVISE. BEIJOS, DESDE JÁ AGRADEÇO E PARTICIPE DAS MINHAS NOVAS POSTAGENS ENTRE HISTÓRIAS.

    ResponderExcluir
  3. indiferença e o amor com certeza são antonimos. Indiferença é um sentimento tão ruim.. machuca tanto! =/ adorei seu texto, voce tem talento! Tambem adorei o titulo do seu blog, rs ! É o nome de uma das minhas musicas favoritas ♥ To seguindo viu?! Visita o meu tambem?
    http://1smile4u.blogspot.com/
    beijos!

    ResponderExcluir
  4. É a pura verdade :D adorei o texto, parabéns pela escrita.
    Estou te seguindo, se quiser dá uma passadinha lá no meu blog: http://refugiopcional.blogspot.com/
    Beijos
    Ps: amei a parte "viva la vida" me lembra uma música do Coldplay o/

    ResponderExcluir
  5. A indiferença é o primeiro passo para o abandono, e indiferença e amor simplesmente nao combinam...

    Lhe convido a visitar meu blog:

    http://reinaldodeltrejo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. O amor é cumplicidade, dar atenção, paparicar. Tem que ser feito a dois.

    ResponderExcluir
  7. eu amo intensamente
    mas sem indiferença!

    gostei muito do seu blog
    parabéns
    estou te seguindo
    não esqueça de dar uma passadinha no meu!
    thedrstyle.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Gostei do texto, e do teu estilo de prosa.
    se quiseres uma dica, não vá tão direto ao ponto.
    reflita mais no decorrer do texto.
    mas enfim, é só uma dica, rs

    to te seguindo, segue de volta e comenta?
    www.luliskd.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo blog. Estou te seguindo me segue tambem ?
    manolofailbr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Passei dois anos brigando com meu atual namorado pra então nos declararmos, mas antes disse, meu o odiava!! as vezes é ate bom! to seguindo!
    http://aquelejeitoc.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. gostey mto do seu blog estou te seguindo ja
    visita o meu depois http://lenny18.blogspot.com/
    se gostar segue de volta.

    ResponderExcluir
  12. Sem dúvida, mas só qdo a indiferença é verdadeira e não uma tentativa de fuga, por medo desse tal amor!

    ResponderExcluir
  13. Indeferença sem dúvidas é um dos piores sentimentos que se pode sentir. Quando se tem ódio é mais fácil amar certa pessoa, mesmo que pareça ser impossível, mas quando você é indiferente é como se não fizesse questão daquela pessoa estar ali, é uma espécie de desprezo.

    Diogopensamentos.blogspot.com

    ResponderExcluir