quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Um pensamento, duas idéias.



Embora muitas pessoas considerem a tristeza sinônimo de dor, eu insisto em repetir que a mesma é a reação provocada pela dor, ou seja, o desânimo, a vontade de construir sonhos paralisada, enquanto uma grande vontade de constriir a felicidade é atônita.
A felicidade? Algo tão raro que, embora alcacemos vários graus, não conseguimos concluir a obra. Falo no sentido da tese que defende a felicidade como algo NÃO PRONTO, mas a ser construido, portanto, uma obra interminável. Ninguém consegue chegar ao grau máximo da felicidade, porque? Da mesma forma que tudo tem seu lado bom, e seu lado ruim, todo ser humano sempre terá um lado de tristeza, seja por uma perda, por uma vontade não saciada, ou por qualquer outro motivo, sempre existirá um lado vazio de felicidade, e outro cheio de alegrias e felicidades, que por ventura, na maioria dos casos, conseguirá fazer o oposto passar quase despercebido, quase inibido, dependendo do grau, mas ele sempre existirá.
Você concorda que essa é a verdade? VERDADE? Não existem verdades, existem HIPÓTESES, cabe a cada um construir a sua própria fé, pois no mundo em relação ao todo, a verdade não existe. Vivemos em um mundo de incerteza, onde o tudo e o nada necessita de um questionamento e posteriormente de uma resposta, esta que sempre haverá uma outra pergunta por trás, nos complexando mais e mais.
"Embora pensarmos que sabemos muito, nada sabemos, quanto mais nós aprendemos, mas desaprendemos, quanto mais desaprendemos, mais questionamos, e quanto mais questionamos, menos achamos as respostas..."
Quando alguém saber ao certo as respostas de: QUEM SOMOS? O QUE SOMOS? PORQUE SOMOS? Poderei , enfim, dizer com firmeza: CONHECI DEUS! Pois o único que tem respostas concreta aos nossos questionamentos, segundo a minha crença, é ele, DEUS.

(Maria de Fátima Gomes)


Imagem de algum site online.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Música, expressão do silêncio.


Como diz Aldous Huxley: Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música. É verdade! As músicas traduzem sentimentos que nem mesmo a razão consegue compreender.

Não existem músicas ruins nem musicas boas, existem musicas que condizem ou não com o nosso momento atual, com um sentimento, uma situação ou até com nosso gosto. Quando o momento, identifica com a letra da musica, automaticamente iremos gostar da mesma, pois ela consegue trasladar as palavras mudas, transcrevem o que estamos sentindo ou pensando, mas não sabemos como expressar.

Gostamos de uma musica pelo ritmo? GOSTAMOS, quando ele se identifica com a nossa PERSONALIDADE. Se observarmos pessoas que gostam de dançar, gostam de musicas com batidas, dependendo do momento. Porém, o que realmente nos faz sentirmos atraídos pela mesma GERALMENTE, embora TAMBÉM ser atraente o ritmo e o estilo, é a letra, as palavras e as frases que nela contem, a não ser se pessoa for do tipo que idolatra apenas um ritmo ou um estilo.

Hoje eu posso ta gostando de uma musica e odiando outra, amanhã o inverso, porque os momentos nunca continuam os mesmos, sempre vivemos novos, então aprendemos a gostar de outras musicas, as que mais condizem com eles.

A musica expõe o que as palavras não dizem.

Nas músicas encontro o meu alento e a minha inspiração.

(Maria de Fátima Gomes)


OBS: Imagem de algum site online.


quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

VIVA LA VIDA !!

Muitas pessoas falam que a vida é difícil, é complicada, mas o problema é que poucos sabem compreender o real significado da mesma.
Muitos desistem dos seus sonhos, deixam de crer em algo que tem muita esperança, perde o gosto pela vida, e outros até optam por não viver, isso as vezes por uma queda, qual teve dificuldades para levantar-se, ou talvez, por uma decepção. E isso é triste.
É necessário entender que a vida é composta por TRISTEZAS e ALEGRIAS, só sabemos o que é bom quando conhecemos o ruim, a gente não iria saber valorizar as alegrias se não conhecesse os momentos de tristezas.
Cair? se decepcionar? FAZ PARTE! É caindo que aprendemos a levantar e a não cair no próximo buraco que a vida cava no nosso caminho, que inclusive, É DE LEI, levantamos mais fortes. É igual a beber uma dose de CACHAÇA, A primeira demora pra descer, mas a partir da segunda, desce fácil... A vida é cheia de altos e baixos, e são nesses momentos baixos que aprendemos a lidar com a ela e então amadurecemos.
Muitas pessoas deixam de viver o hoje por medo de causar alguma consequência amanhã, tudo tem seu lado bom e seu lado ruim, é preciso pensar nisso, porém o importante é não deixar de viver o hoje com medo do amanhã, pois não sabemos até onde a vida nos limita, muito menos até quando existirá amanhã. O amanhã é uma incerteza, VIVA O HOJE, CURTA O MOMENTO, APROVEITE O MÁXIMO CADA SEGUNDO, e VIVA LA VIDA.
(Maria de Fátima Gomes)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Construindo um novo mundo

Atualmente, vivemos em um mundo dominado e movido á violência, a barbáries, capitalismo excessivo, sobretudo, pela ausência de humanidade e pelo egoísmo. Um mundo composto por pessoas FRACAS, onde muitos falam em "MUDAR O MUNDO", mas não sabem transformar as próprias palavras em ATITUDES, coloca-las em PRÁTICA. Pessoas ficam indignadas, revoltadas com a pobreza, a miséria, a violência, a injustiça, com a falta de altruísmo, MAS transparecem ser LIDERADAS pelo CONFORMISMO.
Ficar parado, apenas se lamentando, ou melhor, CONSTRUINDO TORRES de lamentação, perante tais INFELIZES desgraças, nunca será válido para algo, muito menos para mudar o mundo, não contribuirá, não colaborará. Da mesma forma que quem cala consente, quem fala, mas não coloca as palavras em práticas, se CONFORMA, se ACOSTUMA E ACEITA.
Não sejamos passivos, não podemos esperar que o mundo mude sozinho, muito menos que outros façam o que nós mesmos temos que fazer, já pensou se todos pensassem assim? MEU DEUS, não quero pensar! Mesmo porque, não é o mundo que precisa ser mudado e sim, AS PESSOAS que os habitam.
Comece se transformando, com atitudes positivas, plantando, colhendo e compartilhando o bem, esse é o caminho que te levará a um mundo melhor, acredite.
(Maria de Fátima Gomes)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Indiferença, oposto do amor



Dizem que a INDIFERENÇA é o oposto do amor, é verdade, o amor é aquele sentimento que todos desejam conhecer, um sentimento belo, responsável por muitos sorrisos, a indiferença? Responsável por dores... Machuca, fere, despreza... Um ato desumano, mas que muitas vezes torna-se inevitável, incompreensível, não notável para o indiferente. Provoca o silêncio quando muitas palavras precisam ser ditas, quando elas, no dito momento, tornam-se sinônimos de remédio. É tão doloroso gostar de alguém que demonstra falta de amor, esse que um dia atrás era tão forte, e hoje se mostra morto de tanta fraqueza. Quem ama não machuca, nem tem o dom da indiferença, do desprezo em momentos tomados pela raiva. Vale conversar, deixar claro suas raivas, angústias, rancores, converse, o diálogo é a melhor opção. Mais faz doer palavras omitidas, que palavras verdadeiras, mesmo que fortes, ditas no momento preciso. Sabe o que é mais doloroso que sentir odiado por pessoas que você é capaz de doar a sua vida pra elas? Saber que elas não notam a sua existência, muito menos o seu sentimento. É o que a indiferença transparece. Finalizo com uma frase Robert Mallet: A indiferença que se tem, em relação ao outro, é, sem dúvida, a pior das razões para lhe ser fiel.

Acredite, sentimento com indiferença, pode ser qualquer um, menos AMOR.

(Maria de Fátima Gomes)

sábado, 3 de dezembro de 2011

Entendendo a homossexualidade



Nada é complicado, nós que complicamos. É uma frase que insisto em repetir, porque o ser humano tem esse dom de complicar tudo, de dificultar sem precisão. A resposta está aos olhos, mas as pessoas não enxergam.
Homossexualidade é um assunto muito questionado. Acontece que poucas pessoas entendem a sua raiz, outras insistem em dizer que é apenas uma OPÇÃO SEXUAL ou ORIENTAÇÃO SEXUAL. Será que é isso? E a heterossexualidade, é uma opção também?
São respostas que psicólogos, psiquiatras, cientistas a muito tempo procuram , mas nunca encontraram.
Vamos entender: cada pessoa nasce com uma sexualidade, da mesma forma que alguém nasce heterossexual, outro nasce homossexual, não é questão de opção, muito menos orientação, ninguém opta por ser gay, mesmo porque a sociedade é tão desacostumada, tão preconceituosa que para uma pessoa assumir-se gay, tem que ter muita força e coragem, então, se fosse por opção, ser heterossexual É BEM MAIS FÁCIL, mais aceitável. Ninguém que ser motivo de chacotas, de criticas, de violência, de preconceito...
A raiz da homossexualidade é a mesma da heterossexualidade, ambas são tipos de sexualidade, você já nasce com uma delas, e vai desenvolvendo-a de acordo com o tempo, mas poucas pessoas compreendem isso, muitas apenas complicam, porque? FALTA DE COSTUME, FALTA DE CONHECIMENTO.
A sociedade é acostumada a seguir um padrão, qual mostra que a heterossexualidade tem um índice maior que as outras sexualidades,tornando-a normal e as outras anormais, diferentes, mas não é. Acontece que poucos homossexuais tem coragem de se assumirem, porém é preciso da auto-aceitação para que os outros aprendam a aceitar também.
TUDO É QUESTÃO DE COSTUME. É normal ver heterossexuais se beijando, se abraçando, de mãos dadas, trocando carinhos em lugares públicos... Mas difícil ver casais homossexuais trocando carinhos em praças públicas, visíveis para qualquer pessoa. A maioria deles, têm vergonha da própria sexualidade, e é por isso que a sociedade é desacostumada, porque é um acontecimento muito raro, ver um casal de homossexuais juntos e assumidos. Diferente dos heterossexuais que se assumem e são visíveis para qualquer pessoa, a sociedade já se acostumou a isso...
É preciso que entendam o seguinte : São pessoas iguais as outras, o que difere é a sexualidade, que não interfere no caráter, o que realmente faz a diferença no ser humano.
Só será possível amenizar o preconceito , quando as pessoas deixarem principalmente, de usar a religião de forma errada, pois é o mais utilizado meio de conduta e interfere muito na vida das pessoas. Ela insiste em dizer que O HOMEM FOI FEITO PARA A MULHER E A MULHER PARA O HOMEM, insiste em discriminar os IRMÃOS por causa de uma sexualidade, mas esquece de AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO.
Não é pregando o preconceito que se segue a palavra de Deus, mas pregando o AMOR.

A auto-aceitação é o caminho que te leva á normalidade. Seja o que você é.
(Maria de Fátima Gomes)

OBS: A imagem não é minha, é copiada de algum site online.